Flores e olhares

No mês passado, fiz um workshop que há tempos eu namorava: New Tropical de Lucia Milan. Foi um dia que tocou minha alma de florista. Das muitas coisas que vivenciei e me marcaram, uma foi sobre o melhor aproveitando das flores e folhagens que temos na região, sem essa loucura de procurar por flores importadas, congeladas e caras! Como ser mais sustentável? Como ensinar ao meu cliente o universo das flores em uma proposta?

Na mesma semana eu tinha um evento, celebração surpresa de 40 anos e as flores deveriam ser “finas” e especiais. Esse foi o briefing recebido.

Os arranjos da Sinhá nunca são iguais e cada um é desenhado no papel. Depois do desenho, eu tenho minha lista de compras. Assim como você possivelmente faz a feira da semana para sua casa.

Contudo, muitas vezes, nós floristas também não encontramos as flores que havíamos planejado. Frio demais, chuva demais, a semente não vingou. São inúmeros motivos. A dália branca que eu tanto queria estava em falta. Não sei se chá de dália branca faz emagrecer, casar ou outra simpatia qualquer, mas nem encomendando com antecedência eu consegui.

Ali mesmo, na madrugada das compras, você precisa recriar tudo que havia planejado, refazer o desenho na sua própria cabeça e substituir. Os crisântemos estavam lindos, e para ser sincera muito mais atrativos que as dálias. Muitas pessoas tem preconceitos com essa flor. Minha irmã Cátia, certamente diria que é flor do cemitério e vetaria a compra. Talvez, o crisântemo não teria sido aprovado em uma reunião de alinhamento. Mas meu coração dizia que certamente cairia bem. Levei os crisântemos!

A festa foi um sucesso e por ironia da vida, recebi inúmeras mensagens perguntando aonde eu havia conseguido aquelas lindas dálias!

E aí? O que você me diz? Vamos começar a quebrar esse preconceito?

Nestes arranjos, as orquídeas foram o ponto alto para o volume e atenção. Mas veja o destaque no alto do crisâtemo, assim com nos arranjos menores.

Não é lindo? Se no Brasil é uma flor popular, no Oriente é uma flor muito nobre! Tudo depende do seu olhar.

 

Compartilhe:

Comentários no Facebook