Convivendo com Narciso

Não tenho qualquer receio em dizer que aprendo sobre plantas diariamente; assim como aprendo sobre a maternidade ou sobre mim mesma.

Dias atrás, em uma das compras no Ceasa, resolvi trazer um Narciso comigo. É minha segunda tentativa de convivência com esse rapaz. Eu, leonina. Ele, vaidoso com suas flores ao alto.

Como sempre, fiz minhas pesquisas diretamente com o produtor. Ele, poderá me dizer de forma mais certeira onde a planta estava, como estava acostumada a ser cuidada.

Em casa, segui os cuidados com o rapaz: local muito fresco, arejado e uma pedrinha de gelo diariamente. Segundo o produtor, o narciso permanece na casa de leão, quero dizer, vaidoso assim por uns 20 dias.

Hoje, é o 9º dia que estamos juntos. As flores começaram a murchar, folhas amarelar, mas ele não perde a pose.  O pobre coitado também deve ter sentido o impacto desse outono tão quente que estamos passando por aqui.

É uma planta de regiões frias, despertam no outono, devendo permanecer até a primavera.

Assim como as tulipas, são plantas bulbosas. Ficam belas em vasos ou até mesmo em arranjos.

É o símbolo do renascimento e de novos começos, deriva do grego narkao, que significa entorpecer.

Segunda mitologia grega, Narciso era jovem e belo. Apaixonou-se pela própria imagem refletida numa fonte, acabando por cair e morrer afogado. Na beira da fonte brotou uma flor extremamente bela, e à qual foi dado seu nome. Assim se explica o fato dos narcisos ficarem inclinados.

Narciso, fique firme! Você é belo, só não se esqueça de olhar ao redor.

 

Compartilhe:

Comentários no Facebook